InícioPortalBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Ficha de inscrição

Ir em baixo 
AutorMensagem
royogers



Mensagens : 1
Pontos : 0
Idade : 28
Data de inscrição : 01/06/2013

MensagemAssunto: Ficha de inscrição   Sab Jun 01, 2013 1:06 pm


Nome: Roya Violet Hill
Sexo: Masculino
Idade: 14 anos
Nação/Cidade: Ba Sing Se, Reino da Terra
Elemento de dobra: Água

Atributos:
|Força: 3
|Resistência: 4
|Agilidade: 3
|Chakra: (010/500)

Habilidades:
Chicote d’água. - Você cria uma corda e faz um movimento rápido com ela formando um chicote e acertando o inimigo.
Jato d’água. - Você dobra agua e lança um jato da água na direção do inimigo.
Onda I - o player produz uma onda de meio metro de altura.

Itens:


Aparência física: Moreno claro de cabelo curto, porte médio, 1,70m, 68kg, olhos castanhos e uma mancha marrom escura de aproximadamente 4cm no lado direito da testa
Características psicológicas: Calmo, cantarolante, tímido, um pouco ingênuo, simpático e amigável, quase sempre bem humorado.

Nome do pai: Rondai Hill
Nação/Cidade do pai: Tribo da Água do Sul
Nome da mãe: Kissami Violet
Nação/Cidade da mãe: Reino da Terra/Ba Sing Se
Extras: Avó paterna Misura Hill, Prima paterno Juzani Hill, Avô materno Gregori Violet, Tio materno Dolmar Violet, Primo materno Ota Violet, Velha paixão New Bardon

História: Sou filho de um dobrador de água que optou por não praticar dobras e de uma não-dobradora que tem dons espirituais. Meu pai, Rondai, se mudou da Tribo da Água do Sul para capital Ba Sing Se no Reino da Terra em sua adolescência, onde conheceu minha mãe Kissami e se apaixonou. Meu avô materno Gregori, não-dobrador, não é a favor de práticas de dobras, por fazer parte de uma família totalmente religiosa, apesar de ter se casado com uma dobradora de terra. Para entrar na família Violet os dobradores são obrigados a pararem de dobrar, mas eu tenho um tio que sempre foi o rebelde da família e sempre escondido dobrou o elemento terra, esse é o tio Dolmar que também incentivou seu filho que é meu primo e melhor amigo, o Ota, a dobrar terra.
Quando nasci, puxei o tom de pele de meu pai, os olhos de minha mãe e uma aleatória mancha no canto direito de minha testa, chamo-a de seriedade, como minha mãe me ensinou chama-la. Aos quatro anos adorava tomar banho e fazia brincadeiras com a água, mas quando meu pai via me reprimia, já minha mãe sempre deixou me divertir com minhas pequenas dobras. Depois que meus pais se casaram e me tiveram, todo ano íamos visitar minha avó paterna Misura na Tribo da Água do Sul, lá eu tenho uma prima a Juzani que escondida me ensinava as dobras de água, ela sempre era melhor que eu.
Quando estava com seis anos me aconteceu um acidente em uma das viagens, eu e minha prima saímos para brincar nos morros de neve, como era um dos últimos dias que ficaria na tribo, queria brincar mais, mas ela já estava cansada e decidiu voltar, porém eu tentei aproveitar mais, sem querer caí em um buraco de 9 metros e meio de neve, qual fiquei durante uma madrugada sozinho, com fome e muito frio. Meus pais me procuravam que nem loucos, mas não me achavam. Ao amanhecer decidi escalar aquela parede de neve, doía tanto minhas mãos e era tão difícil me segurar, até que consegui sair e chorei tantas pedrinhas de gelo que poderia até tampar o buraco. Depois disso, nas outras viagens não pude mais sair para brincar com Juzani, o que era mais difícil ainda de ser treinado pela minha primeira mestra, porém ganhei boa resistência ao frio.
Aos sete anos eu tive um inusitado vizinho chamado New, ele era de uma família de dobradores de fogo, logo mais ele se tornou amigo de meu primo. Eu não suportava o New, ele era muito imprudente, todas as menininhas queriam se casar com ele, estava roubando meu melhor amigo e me irritava profundamente. Com o tempo fui aceitando como ele era, Eu, Ota e New, nos tornamos grandes amigos e saiamos para bagunçar na cidade todos os dias, New e Ota eram os lideres e eu o vice, também gostávamos de fazer competições de dobras, New sempre ganhava, pois tinha seu pai como mestre, Ota ficava em segundo, pois seu pai brincava de dobras com ele escondido e eu ficava em ultimo, pois só tive uma mestra que era dois anos mais velha que eu.
Quando tinha 10 anos, New recebeu a notícia de que era seu ultimo ano que ficaria em Ba Sing Se, voltaria para sua cidade natal na Nação do Fogo. Meus sentimentos por ele ficaram estranhos, não quis mais brincar com ele e meu primo, passei a ficar irritado novamente e triste - New vai me esquecer!- era o que eu pensava.
Aos meus onze anos, tive dois fatos que mudaram realmente minha vida, quando faltava uma semana para o New partir, minha família recebeu a noticia de que restavam poucos dias de vida para minha avó Misura, justo no dia anterior eu tinha me convenci de aproveitar os últimos dias de New, foi um dos melhores dias, nós três havíamos feito tantas loucuras juntos. Então falei com New e Ota sobre o caso de minha avó e fiz prometerem tornar os últimos dias de New os melhores, mesmo sem mim. Eu parti com meus pais ao amanhecer, mas na madrugada anterior New apareceu em minha janela e me levou para um morro próximo de casa que dava para ver a cidade de Ba Sing Se, e me disse: - Eu te amo, nunca vou te esquecer, e gostaria muito de presenciar essa imagem da cidade ao seu lado, um dia nos reveremos. E encostou seus lábios nos meus, me debulhei em um mundaréu de lágrimas que poderiam encher outro buraco de 9 metros e meio e me despedi de New.
Ao chegar na terra natal de meu pai, realmente era o ultimo dia de vida de minha avó Misura, parecia que ela apenas aguardava nossa chegada. Minha avó abençoou minha mãe, me abraçou e sussurrou que eu serei um homem honroso, muito bem amado e não devo desistir de lutar pelos meus sonhos. Ao meu pai minha avó o abraçou tão forte, enquanto minha mãe fazia um canto rezando pela alma dela, ela sussurrou ao meu pai: - Você foi um filho muito honroso, abriu mão de sua dobra por amor, mas não tire a oportunidade de seu filho se tornar um grande dobrador de água, que eu sempre quis que você se tornasse, entregue isso a ele quando estiver pronto. Deu ao meu pai um frasco de Água do Oasis Espiritual, que esta na família há anos.
Aos meus 12 anos, meus pais decidiram pela primeira vez irem contra meu avô Gregori, deixaram me tornar um dobrador. E atualmente estou com 14 anos e vou para uma escola de dobradores, nos últimos anos tive algumas aulas com minha mestra Juzani.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Ficha de inscrição
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Lista de Inscrições para o I Torneio Especial
» Ficha - Alice Havelle
» Ficha - Marceline Abadeer
» Ficha Oreki Houtarou
» [Ficha] A Zorua Guardiã

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: .: Area para Jogadores :. :: Inscrição para jogares/Fichas :: Fichas em Revisão-
Ir para: